Menu

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

ROGÉRIO CENI superando as expectativas no Tricolor

Quando Rogério Ceni foi anunciado como técnico do São Paulo, previmos algumas dificuldades que poderiam precocemente encerrar este novo desafio, sendo a principal delas o imediatismo da torcida.

De forma até surpreendente, no entanto, Ceni teve resultados iniciais muito bons.

Ganhou a simbólica Flórida Cup diante de seu maior rival. Teve um tropeço vexatório diante do minúsculo Audax na estreia do Paulistão. Mas se recuperou de forma categórica diante da Ponte Preta e quebrou um tabu ridículo contra o Santos.

Especialmente contra o Santos, Ceni teve grande importância no resultado, com um segundo tempo exemplar de sua equipe. Aula de contra-ataque, passe em profundidade, futebol ofensivo, precisão cirúrgica nas alterações. E, sobretudo, um São Paulo exalando confiança como há muito não se via. 

Aquela equipe que se assustava facilmente e que se apequenava nos grandes jogos e que tanto aborrecia o São-Paulino parece que ficou para trás. 

Parece pouca coisa, mas não é. Ainda é cedo para dizer se Ceni é mesmo um estrategista ou apenas um bom motivador. Mas essas vitórias foram fundamentais para superar as desconfianças iniciais e pavimentar o caminho para continuidade do seu trabalho, para que ao menos chegue ao Brasileirão. 

No volátil mercado do futebol, um treinador permanecer uma temporada inteira em um clube não é tarefa simples.

Para Ceni treinador, isso terá o peso de um título. Para os tricolores, a certeza de um grande ano, afinal, nenhum técnico se mantém sem bons resultados. Os primeiros passos foram dados. E o futuro parece bastante promissor.

Veja também:
Rogério Ceni recusou o Olimpo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Paulistão: Bentão e o Anti-Puskas

Não está nada fácil a vida do meu querido São Bento no Campeonato Paulista. Jogou bem, mas perdeu os três jogos que disputou: Corinthians (1x0 com pênalti descaradamente cavado) e São Bernardo (com "lei do ex" no finzinho) foram frustrantes pelas chances criadas e desperdiçadas. 

Mas o que irritou demais a torcida são-bentista foi o bizarro gol contra marcado pelo zagueiro João Paulo na derrota por 1x0 para o Ituano. Em um lance inexplicável o zagueiro recuou a bola do meio de campo encobrindo o goleiro Rodrigo Viana que estava adiantado. O popular "gol que Pelé não fez", um verdadeiro "anti-Puskas". Confira no player abaixo:
Apesar do lance inglório, o zagueirão tem crédito com a torcida já que foi um dos pilares defensivos da excelente campanha que deu ao Bentão à Série C. 

Mas é bom não exagerar na "categoria" da próxima vez.

Veja também:
PINTOU O CAMPEÃO: nova música em homenagem ao E. C. SÃO BENTO

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

STEVEN TYLER parabeniza TOM BRADY pelo SUPERBOWL

Gostemos ou não, o SUPERBOWL LI foi um sucesso e a virada absurda dos PATRIOTS diante dos FALCONS entrou para história.

Tanto que STEVEN TYLER, vocalista do AEROSMITH e uma das maiores lendas da música, não foi econômica nos elogios a TOM BRADY, grande nome da decisão.

Disse TYLER através de sua conta oficial no Facebook: "E eu que achava que ter a parceria com o RUN DMC é que era uma VIRADA... até TOM BRADY e os PATRIOTS fazerem ISSO!", referindo-se é claro a regravação de "Walk this way" com o grupo de Rap RUN DMC e que praticamente ressuscitou o Aerosmith comercialmente há mais de duas décadas.
Aproveitando a deixa, nada mal relembrar essa antológica parceria:

Veja também:
O atleta mais Heavy Metal de 2016

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

BRUNO SUTTER canta clássico do ANGRA com membros do NOTURNALL

Confira inusitada versão acústica de Carry On com o projeto ANIE que conta com Junior Carelli e Fernando Quesada, membros da banda NOTURNALL, tendo como convidado especial Bruno Sutter (a.k.a.DETONATOR, o "Filho do Deus Metal"):
Veja também:
HARD ROCK BRASILEIRO entrevista banda EYELINER

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

HELLISH WAR: turnê celebra 15 anos de "Defenders of Metal"



O HELLISH WAR, uma das bandas mais importantes do Power Metal nacional, celebrará 15 anos de seu álbum "Defenders of Metal" com uma turnê que terá início em fevereiro. Para a galera aqui da região que acompanha o blog, fica o destaque para o show que acontece em VOTORANTIM previsto para o dia 26/02. Confira abaixo o release oficial com mais datas e informações:
"Defender Of Metal" é um dos melhores álbuns de metal tradicional de toda América do Sul". Essa afirmação é do alemão Volker Raabe, produtor de shows e empresário, responsável pelo SwordBrothers Festival, um dos mais importantes festivais europeus voltados exclusivamente ao metal 'old school' e que teve o Hellish War como atração em sua edição de 2009. 

Muitos são os metalheads ao redor do mundo que se fariam valer da declaração acima. Originalmente lançado pela Megahard Records em 2001, "Defender Of Metal" é uma verdadeira declaração de amor ao heavy metal. Músicas como "We Are Living For The Metal", "The Sign", "Memories Of A Metal" e a faixa título tornaram-se hinos de devoção incondicional ao Metal para muitos fãs da banda espalhados pelo Brasil e principalmente Europa, onde a banda já excursionou duas vezes.
"Defender Of Metal" não só projetou a carreira do Hellish War internacionalmente, mas moldou a personalidade musical do grupo que foi aprimorada nos trabalhos subsequentes, "Heroes Of Tomorrow" de 2008 e "Keep It Hellish" de 2013. O disco ao vivo "Live In Germany" (2010) também veio recheado de clássicos do debute e provou o poder de fogo dessas faixas entre o público europeu.

Passados 15 anos do lançamento de "Defender Of Metal" - que ganhou versão europeia através da gravadora alemã Pure Steel Records -, o Hellish War se viu na obrigação de celebrar a data junto aos fãs através de um relançamento especial do álbum e alguns shows especiais onde pretendem tocar o disco na íntegra. 

As comemorações terão início com os próximos três shows que o grupo realiza em Fevereiro. Dia 11 em Osasco/SP, dia 25 em Socorro/SP e dia 26 em Votorantim/SP. 


Nessas ocasiões a banda não irá interpretar "Defender Of Metal" na íntegra, mas promete um setlist recheado com os principais clássicos do álbum.

O show do dia 11 em Osasco acontece no Mineiro Rock Bar (Av. Maria Campos, 706 - Centro). Além do Hellish War que faz um show como headliner, também se apresentarão as bandas Comando Nuclear, Breakout, Álcool, Armadilha, Metaltex e Sweet Danger. Os ingressos, antecipados, custam R$ 10,00 e estão à venda na Mutilation na Galeria do Rock em São Paulo e na Extreme Noise na Galeria Barão, bem como nas bilheterias do Caveira Velha Rock Bar e do Mineiro Rock Bar. Vendas e outras informações também estão disponíveis pelo Whatsapp (11) 98084-7507. 

Mais detalhes sobre os shows que o Hellish War realiza em Socorro e Votorantim serão divulgados em breve.

O Hellish War é atualmente formado pelo vocalista Bil Martins, os guitarristas Vulcano e Daniel Job, o baixista JR e o baterista Daniel Person.

Assista o Hellish War numa performance ao vivo de "We Are Living For The Metal" no Swordbrothers Festival na Alemanha em 2009:
Mais Informações: 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Novo videoclipe da banda BUSIC

Já está rolando o segundo clipe da banda BUSIC, nova empreitada musical dos irmãos Andria e Ivan após o fim do DR SIN. A faixa escolhida foi "Ação e Reação", uma das melhores músicas do novo álbum. Confira no player abaixo:
Veja também:
BUSIC: assista clipe de banda com ex-membros do DR SIN

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CANÁBICOS divulga clipe de novo álbum

"Intenso" é o título do novo álbum da banda mineira CANÁBICOS previsto para Março em CD e também em todas as plataformas digitais. 

Um videoclipe da faixa "Planeta Estranho" já está disponível! Confira no player abaixo:

Mais Informações:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

HARD ROCK BRASILEIRO entrevista banda EYELINER

A página HARD ROCK BRASILEIRO publicou no finalzinho do ano passado uma entrevista com a banda EYELINER de Sorocaba/SP que agora a banda disponibiliza também em seu canal no Youtube. Confira:
Abaixo é possível ver uma apresentação recente da banda no bar Hangar 51 em Sorocaba:

Para maiores informações:

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

FUTEBOL E POLÍTICA: CORRUPÇÃO 1 X 0 DEMOCRACIA


O amigo e poeta votorantinense Donisete Oliveira enviou para o blog uma crônica de sua autoria na qual coloca em campo times representando a Corrupção e a Democracia em um "clássico" que, infelizmente, estamos acostumados a ver (e a perder). No time da corrupção, os jogadores tem os apelidos utilizados na delação da Odebrecht. Na equipe da Democracia, direitos, benefícios e valores que farão muita falta aos brasileiros. Confira: 

FUTEBOL E POLÍTICA:
CORRUPÇÃO 1 X DEMOCRACIA 0 

PAVÃO BUENO: Muito bom dia, amigos da Rede Bobo! Estamos ao vivo, em definitivo, diretamente de Brasília para esse clássico,esse jogão: CORRUPÇÃO X DEMOCRACIA! Bom dia pra você também CASA GRANDE E SENZALA! Comente aí esse jogão,então.
 
CASA GRANDE E SENZALA : Oi,PAVÃO. O jogo aqui vai ser duro hoje.A torcida maior por aqui está gritando FORA DILMA desde que chegou. Muito barulho, muita festa, muito ódio, os HOOLIGANS COXINHAS estão até com PATO AMARELO de borracha, fazendo muita folia. Quanto ao time da CORRUPÇÃO, eles estão com uma camisa nova, amarela como a da seleção e tem um novo patrocinador a Odebrecht. 

PAVÃO BUENO : o juiz da partida é lá do Egito, o senhor TUKAMORO, descendente do grande faraó Tutankamon da 18ª dinastia egípcia é a múmia mais famosa do Egito. É auxiliado pelo bandeira nº 1 o senhor CARONERO LUSITANO e pela bandeirinha nº 2 BENTA CARNEIRA. 

PAVÃO BUENO: Vamos às escalações: 

CORRUPÇÃO: “GOLEIRO”, "BOCA MOLE",”ATLETA /JUSTIÇA”, “MINEIRINHO”,”SANTO”, "BABEL":, “CAJU”, “CARANGUEJO”; “GRIPADO", "BOTAFOGO", "PROXIMUS" TÉCNICO: TEMEROSO
 
DEMOCRACIA: SUFRÁGIO, ÉTICA, PREVIDÊNCIA, CLT, MINHA CASA/MINHA VIDA, EDUCAÇÃO, BOLSA FAMÍLIA, PROUNI, PRÉ-SAL, SUS, SALÁRIO.
TÉCNICO: DEMOCRACIA 

COMEÇA O JOGO! “GOLEIRO” LANÇA LÁ NA DIREITA PARA “BOCA MOLE” QUE TOCA PARA “CARANGUEJO” QUE PRENDE A BOLA E PASSA PRA “CAJU “LIVRE DE MARCAÇÃO, QUE FEZ UMA CAVADINHA MARAVILHOSA PARA “BABEL” QUE NÃO TEM POSIÇÃO FIXA; OLHA E TOCA DE NOVO PRA “CARANGUEJO” QUE PASSA PELA URNA, PASSA PELO SUFRÁGIO E VÊ “MINEIRINHO” SEM MARCAÇÃO. 

"MINEIRINHO” FAZ UMA TABELA COM “SANTO” QUE DOMINA A BOLA COM A MÃO E NINGUÉM VIU.

JOGADORES DA DEMOCRACIA VÃO PRA CIMA DO JUIZ QUE DIZ QUE NÃO VIU NADA.

ARREMESSO DE MÃO DO “BOTAFOGO” PARA “PRÓXIMUS” QUE LANÇA PARA O CAPITÃO “ATLETA-JUSTIÇA” QUE MATA NO PEITO, CHAPELA A ÉTICA E DÁ UM BICO, NO ÃNGULO DO SUFRÁGIO UNIVERSAL! 

É GOOOOOOOOOLPE! É GOLPE TORCIDA BRASILEIRA!

Veja também:

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

RITA LEE: Uma Autobiografia (review)

RITA LEE sempre foi uma figura controversa no rock nacional. A forma como saiu dos Mutantes, desentendimentos com o Tutti Frutti (sua banda posterior), seu comportamento afrontador que a coloca como ícone feminista ainda que não se assumisse como tal, o estigma de ser "rockeira do sistema" por estar sempre na mídia. São muitos os aspectos de sua trajetória que renderiam horas de discussão. 


Tantas polêmicas por vezes acabaram atrapalhando a apreciação completa de sua obra, mas é inegávell sua importância. E o grande mérito dessa autobiografia é dissipar quaisquer dúvidas em relação a sua grandeza artística e também como uma daa principais figuras femininas da nossa história recente.

Escrito sem o auxílio de "ghost writer", como a própria autora faz questão de frisar, o livro é dividido em capítulos curtos, quase como uma coletânea de crônicas. A ordem cronológica não é muito rigída e a escrita jocosa e irônica contém lá sua literalidade, tornando a leitura bastante prazerosa.

A primeira parte descreve a infância de Rita Lee, o convívio familiar, os primeiros contatos com a música, entre outros aspectos pessoais dentre os quais há um chocante relato de um abuso sofrido aos seis anos de idade. 

Já na adolescência, as primeiras bandas, peripécias juvenis que já demonstravam o espírito zombeteiro que posteriormente seria marca registrada de sua carreira artística, o encontro com os irmãos Dias Baptista, o relacionamento com Arnaldo, tudo é desnudado de maneira sincera.
Sobre Os Mutantes, Rita é bastante dura em sua autocrítica. Embora não deixe de reconhecer o vanguardismo do grupo, os egos ao seu ver eram maiores que a sua arte. 

Quanto a sua carreira solo, Lee a esmiúça comentado disco por disco, turnê por turnê e até mesmo com um faixa a faixa, revelando detalhes dos bastidores, das parcerias e da inspiração de seus maiores hits.

Há episódios prosaicos e engraçados como o roubo das cobras de Alice Cooper, uma improvável "suruba progressiva" com o YES ou os "bauretz" de Tim Maia. Mas há também dramas pessoais como a prisão enquanto grávida do primeiro filho (e a ajuda imprenscindível de Elis Regina), perdas familiares pirações das mais diversas procedências e internações em "rehabs" (no caso, hospícios mesmo).

E é claro que boa parte dessas desventuras acontecem ao lado de seu grande amor e parceiro musical Roberto de Carvalho, uma espécie de contraponto às loucuras de Rita Lee.
Enfim, uma leitura altamente recomendada para todos que se interessam pelo que aconteceu na época mais criativa da música popular brasileira e, é claro, indispensável aos fãs da mais mutante de todos os mutantes.

Veja também:
Resenha: Mujica - A Revolução Tranquila - Mauricio Rabuffetti